Ministério da Pesca promove Semana do Peixe

02_12_13_destaque05_rj_crivella_depois_gado_prioridade_pescado_brasil

Segundo o ministro Marcelo Crivella (PRB-RJ), da Pesca e Aquicultura, o Brasil precisa aumentar o consumo e a produção interna de pescado

Brasília (DF) – Entre os dias 01 e 15 de setembro, o Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA) promove em todo o Brasil a X Semana do Peixe. O evento, que estimula o consumo de pescado no País, tem a participação de supermercados, bares e restaurantes, escolas, centros de saúde, empresas e instituições. A campanha promove uma série de iniciativas em torno do pescado, como cursos, palestras, seminários, festivais gastronômicos, degustações, campeonatos, promoções em supermercados, distribuição em caminhões-feira e povoamento de alevinos (filhotes de peixe) em açudes e represas.

Segundo o ministro Marcelo Crivella (PRB), da Pesca e Aquicultura, o Brasil precisa aumentar o consumo e a produção interna de pescado. A X Semana do Peixe, para ele, é uma ótima oportunidade para o País aproveitar tanto uma saborosa receita quanto para mobilizar a população em torno do assunto. “Será importante os brasileiros refletirem sobre o tema e discutirem as ações em andamento para alavancar a produção de pescado em propriedades rurais, nos reservatórios de hidrelétricas e no litoral”, diz.

O ministro r28_08_13_destaque02_ministerio_da_pesca_aquicultura_promove_semana_peixeecomenda, em especial, durante a Semana do Peixe, o consumo de produtos provenientes da pesca nacional ou de criatórios de espécies de peixe como tilápia, tambaqui, pintado, cachara, tambacu e pacu, e de mariscos como ostras, mexilhões e vieiras.

A campanha funciona como uma âncora, no segundo semestre, para o aumento do consumo de pescado. No primeiro semestre, a Semana Santa cumpre este papel. Os brasileiros ainda consomem menos pescado do que o recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS). A média atual é de 9 quilos por habitante/ano, quando o ideal seria pelo menos 12 quilos.

A previsão do Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA), entretanto, é de que o consumo nacional de pescado alcançará a média dos 12 quilos até o final de 2015.

A campanha

No ano passado, a Semana do Peixe aumentou o consumo nacional de peixe em 20% e conseguiu reduzir os preços em 24%, conforme levantamento do MPA.  A atual campanha vai contar com a adesão de 93 restaurantes populares e 136 cozinhas comunitárias do País, que divulgarão cartazes e cartilhas e oferecerão pratos à base de pescado.

O lançamento oficial da X Semana do Peixe será em Brasília, no próximo dia 02 de setembro, no Mercado do Peixe, da Ceasa, às 10 horas, com a presença do ministro Marcelo Crivella. No próximo dia 31 de agosto, porém, o ministro estará em Cabo Frio (RJ), para a divulgação regional do evento no Mercado Municipal do Peixe, a partir das 11horas. Outros eventos, com a participação do ministro, estão previstos para estados como Rio Grande do Norte, São Paulo e Tocantins.

Mercado bilionário

Grande produtor de carnes, o Brasil se prepara para ter uma participação mais significativa no mercado de pescado, para atender a sua demanda interna e também para exportar.

No mundo, o peixe é a proteína animal de maior consumo. Em 2011, por exemplo, foram produzidas 130,8 milhões de toneladas de pescado para consumo humano, enquanto a produção de bovinos alcançou neste mesmo ano 56,85 milhões de toneladas e a de frangos 89,36 milhões de toneladas. Em 20 anos (1991-2011), a produção mundial de bovinos aumentou 13%. Entretanto, o pescado está na frente na corrida. Em apenas seis anos (2006-2011), o consumo humano de pescado cresceu 14,43%. Em 2010, este extraordinário mercado já movimentava US$ 217,5 bilhões, segundo a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO).

No Brasil, a sinalização de que a demanda cresce pode ser constatada na balança comercial. O País já recorre a importações de pescado para atender à procura. Em 2012, o País importou US$ 1,3 bilhão em pescados como bacalhau, salmão, pangasius e merluza.

Brasil em campo

O atendimento da demanda atual e futura de pescado no Brasil e no mercado internacional dependerá do crescimento da atividade aquícola (cultivo de pescado), já que a pesca extrativa se encontra estagnada no mundo, desde pelo menos 2006, no patamar das 90 milhões de toneladas anuais.

Apesar de alguns nichos promissores para a pesca industrial no Brasil, a exaustão dos recursos pesqueiros mundiais aponta que o futuro será mesmo da aquicultura. “Este é um dos setores econômicos que mais cresce no mundo e o Brasil tem imensas possibilidades de assumir um papel de destaque na produção, como já adquiriu em outros tipos de carne, de forma a atender melhor o mercado interno e colocar excedentes no mercado externo”, diz o ministro Marcelo Crivella. Ele lembra que o País é o que dispõe de mais água doce no planeta, bem como um extenso litoral. Além disso, existem 200 grandes reservatórios onde será possível a criação de pescado em gaiolas (tanques rede). Ainda este ano, o ministério lançou editais para o aproveitamento de lotes aquícolas em reservatórios ou áreas litorâneas nos estados de Goiás, Paraná, Rio de Janeiro, Bahia, Pernambuco, São Paulo e Mato Grosso do Sul.

Em outra frente, o MPA quer que milhares de pequenas propriedades rurais passem a produzir pescado, o que pode ser feito sem comprometer a tradicional agricultura. Para tanto, o ministério lançou um programa de fomento à aquicultura familiar, que irá ceder equipamentos (escavadeira hidráulica e trator de esteiras) para Prefeituras e consórcios intermunicipais construírem viveiros escavados nas propriedades. Estes viveiros são áreas abertas no solo para o acumulo de água e a criação de peixes.

Aproximadamente 27% das prefeituras brasileiras estão habilitadas a participar do programa. As atividades possibilitarão a formação de cadeias produtivas, com empresas de fornecimento de alevinos (filhotes de peixe) e de ração, fornecedores de equipamentos e produtos, distribuidores e fábrica de beneficiamento.

“Estamos construindo a base da aquicultura nacional, com o apoio de todos os entes da federação, que compreendem o potencial do setor e já criam legislações ambientais mais favoráveis à atividade”, diz o ministro Crivella, confiante de que as ações darão resultado e os peixes irão se multiplicar.

Texto: Ascom – MPA

Eu repórter republicano

Quer ser um repórter republicano e ver sua matéria publicada no Portal PRB? É muito simples. A Agência PRB Nacional disponibiliza um contato direto para receber todo o conteúdo (textos e fotos). Anote aí o e-mail: pautas@prb10.org.br. Viu como é fácil? Agora é só participar e nos ajudar a manter esse canal sempre atualizado.

REPORTAR ERRO

Informar erro

COMPARTILHE

FALE CONOSCO

O PRB está de portas abertas para ouvir você

Sugestões, críticas, dúvidas e elogios

faleconosco@prb10.org.br

FALE COM O PARLAMENTAR

Nesta semana, envie sua mensagem para a deputada federal, Rosangela Gomes (PRB-RJ)

E-mail (clique aqui)
ou
(61) 3215-5438

QUEM É QUEM

Conheça as lideranças do Partido Republicano Brasileiro

CONFIRA

EU REPÓRTER

Deseja indicar uma matéria para sair aqui no Portal PRB?

pautas@prb10.org.br

RECEBA NO SEU E-MAIL

Enviamos para seu email os destaque da semana.
Faça parte do Boletim 10!

Respeitamos seu email. Não gostamos de SPAM.

Você foi inscrito com sucesso!

Pin It on Pinterest

Quer fazer um
Curso de Política GRATUITO?

Preencha para receber seu acesso ao curso!