Amazônia discute logística para abastecer de pescado o Brasil

16_07_13_destaque04_df_amazonia_discute_logistica_abastecer_pescado_brasil

Os temas de logística, de beneficiamento e de ação comercial também são de interesse de outros estados da região Amazônica, como Acre, Amazonas e Roraima

Brasília (DF) – Na tarde da última quinta-feira (11), foi realizada em Brasília no Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA), liderado por Marcelo Crivella (PRB), uma discussão sobre como dar sustentabilidade comercial à forte expansão da piscicultura em Rondônia, principalmente considerando o posicionamento logístico do estado em relação aos grandes mercados consumidores de pescado das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

Nos últimos cinco a sete anos a produção de pescado em Rondônia – sobretudo através da criação da espécie tambaqui, nativa da Amazônia – cresceu a taxas elevadas, em função do mercado de Manaus, que atualmente absorve cerca de 80% das 38 mil toneladas de pescado produzidas. Assim, no mercado varejista da capital do Amazonas a venda do tambaqui já é responsável por negócios da ordem de R$ 334 milhões por ano, segundo estudo desenvolvido, entre junho e agosto de 2012, pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Rondônia (Sebrae-RO), através da empresa de consultoria FOCCU’s, de Porto Velho.

Atualmente a piscicultura já se tornou uma das principais atividades do agronegócio rondoniense, e mobiliza cerca de 2.600 produtores de tambaqui. Nos próximos dois anos, a produção rondoniense, em criatórios de viveiros escavados, deve alcançar as 50 mil toneladas anuais, conforme prevê o governo estadual.

Os temas de logística, de beneficiamento e de ação comercial também são de interesse de outros estados da região Amazônica, como Acre, Amazonas e Roraima. Juntos, esses estados e Rondônia produzem mais de 68 mil toneladas de pescado por ano. Espaço, água, recursos financeiros, e mesmo tecnologia e genética, para a piscicultura continuar crescendo a taxas elevadas na região Norte estão já equacionados. O que se discute agora são as estratégias para abastecer novos e promissores mercados, onde há demanda para volumes extraordinários de pescado.

Estratégia

A discussão sobre a produção de Rondônia mobilizou equipes de vários setores do Ministério da Pesca e Aquicultura, desde a área de comercialização à de Pesquisa & Desenvolvimento. Na oportunidade, estavam presentes, entre outros, o diretor do Departamento de Fomento do MPA, Sebastião Saldanha Neto, o superintendente federal de Pesca e Aquicultura de Rondônia, Jenner Tavares Menezes, e representantes do Sebrae e da empresa FOCCU’s, que conduziu o estudo intitulado “Pesquisa de mercado para acesso do tambaqui rondoniense às praças de Manaus, Sorriso/Cuiabá e São Paulo”.

“O estudo nos deu um retrato de como estava a praça de Rondônia e das oportunidades que temos. Agora temos de fazer o dever de casa e seguir as estratégias apontadas”, diz o superintendente Jenner Tavares.

Após a reunião, o superintendente de Rondônia e os representantes do Sebrae foram recebidos pelo Secretário de Infraestrutura e Fomento do MPA, Eloy Araujo, para encaminhar as propostas do encontro.

Redes de Comércio

Na reunião no MPA, as informações e os resultados da pesquisa do Sebrae foram apresentados aos presentes pelo consultor Mauricio Chiecco Filho, que defendeu a organização dos produtores de Rondônia não apenas através de cooperativas e de associações como também por meio de redes de comércio independentes. Essas redes podem reunir diversos produtores, para repartir despesas e reunir volumes maiores de tambaqui como querem os compradores e distribuidores. A maior organização favorece a redução de custos, pela venda direta e ausência de intermediários.

Maurício Chiecco lembrou que há três meses o Sebrae fomentou no município de Ariquemes – um dos maiores polos de produção de tambaqui em Rondônia – um Encontro de Negócios. Além de nove piscicultores foram convidadas empresas compradoras e frigoríficos. Apenas este encontro resultou em um acordo para o fornecimento de 375 toneladas mensais de tambaqui, no valor da ordem de R$ 1,4 milhão para os produtores,.

A estratégia do Sebrae – que conta com o apoio do Ministério da Pesca e Aquicultura – é estimular o fornecimento do tambaqui de Rondônia para mercados onde há demanda crescente, nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Goiás e Mato Grosso.

Fonte: MPA

Eu repórter republicano

Quer ser um repórter republicano e ver sua matéria publicada no Portal PRB? É muito simples. A Agência PRB Nacional disponibiliza um contato direto para receber todo o conteúdo (textos e fotos). Anote aí o e-mail: pautas@prb10.org.br. Viu como é fácil? Agora é só participar e nos ajudar a manter esse canal sempre atualizado.

REPORTAR ERRO

Informar erro

COMPARTILHE

FALE CONOSCO

O PRB está de portas abertas para ouvir você

Sugestões, críticas, dúvidas e elogios

faleconosco@prb10.org.br

FALE COM O PARLAMENTAR

Nesta semana, envie sua mensagem para a deputada federal, Rosangela Gomes (PRB-RJ)

E-mail (clique aqui)
ou
(61) 3215-5438

QUEM É QUEM

Conheça as lideranças do Partido Republicano Brasileiro

CONFIRA

EU REPÓRTER

Deseja indicar uma matéria para sair aqui no Portal PRB?

pautas@prb10.org.br

RECEBA NO SEU E-MAIL

Enviamos para seu email os destaque da semana.
Faça parte do Boletim 10!

Respeitamos seu email. Não gostamos de SPAM.

Você foi inscrito com sucesso!

Pin It on Pinterest

Quer fazer um
Curso de Política GRATUITO?

Preencha para receber seu acesso ao curso!