Meu corpo não é sua fantasia

 

Carnaval tem música, bloco, confete, serpentinas, flerte e paquera, mas também são frequentes beijos roubados, apalpadelas e palavras de baixo calão. Tais atitudes constrangedoras são sempre direcionadas às mulheres, vítimas corriqueiras de abuso e constrangimento sexual.

As denúncias de assédio no Carnaval cresceram 90% nos últimos anos, segundo a Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência, o Ligue 180. Isso demonstra o quanto vivemos em uma sociedade machista, em que as mulheres são tratadas como objetos disponíveis para satisfazer prazeres e vontades dos homens. O sentimento das vítimas é o que menos importa.

O que motiva o assédio não é a vontade de elogiar ou de estabelecer uma conexão de interesses mútuos. O objetivo é subjugar, coagir e se fazer sentir superior, ou até mesmo reafirmar uma masculinidade egocêntrica baseada em normas de comportamento patriarcais. O mais cruel nisso tudo é que, independentemente de reagir ou não, a vítima ainda se sente culpada, quando na verdade a culpa do assédio é sempre do agressor.

Assédio sexual causa malefícios terríveis à saúde psicológica, física emocional da mulher. Além da naturalização desse tipo de comportamento, é comum o surgimento de ansiedade, estresse e depressão. Além disso, o assédio é um tiro na autoestima, o que também acaba prejudicando as relações sociais.

Com isso em mente, levaremos às ruas de Salvador nesse Carnaval a campanha “Meu corpo não é sua fantasia”. A ideia é promover ações educativas e distribuir material gráfico com orientações sobre o tema, incluindo canais de denúncia para as vítimas. Também trabalharemos em conjunto com a Guarda Municipal, a Ronda Maria da Penha (Polícia Militar) e outros órgãos do poder público.

Enquanto sociedade, precisamos entender que uma investida sexual precisa estar munida do consentimento de ambas as partes, o que não ocorre quando se utiliza palavras depreciativas ou que causem medo ou firam a dignidade da mulher. Por fim, silêncio não é consentimento. Se a “cantada” não for recebida com um “sim” ou com um gesto claro de reciprocidade, a regra é se afastar.

*Ireuda Silva é vereadora de Salvador pelo PRB; presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher e vice-presidente da Comissão da Reparação.

Eu repórter republicano

Quer ser um repórter republicano e ver sua matéria publicada no Portal PRB? É muito simples. A Agência PRB Nacional disponibiliza um contato direto para receber todo o conteúdo (textos e fotos). Anote aí o e-mail: pautas@prb10.org.br. Viu como é fácil? Agora é só participar e nos ajudar a manter esse canal sempre atualizado.

VER TODOS OS ARTIGOS
REPORTAR ERRO

Informar erro

COMPARTILHE

FALE CONOSCO

O PRB está de portas abertas para ouvir você

Sugestões, críticas, dúvidas e elogios

faleconosco@prb10.org.br

FALE COM O PARLAMENTAR

Nesta semana, envie sua mensagem para a deputada federal Rosangela Gomes (PRB-RJ):

E-mail (clique aqui)
ou
(61) 3215-5438

QUEM É QUEM

Conheça as lideranças do Partido Republicano Brasileiro

CONFIRA

EU REPÓRTER

Deseja indicar uma matéria para sair aqui no Portal PRB?

pautas@prb10.org.br

RECEBA NO SEU E-MAIL

Enviamos para seu email os destaque da semana.
Faça parte do Boletim 10!

Respeitamos seu email. Não gostamos de SPAM.

Você foi inscrito com sucesso!

Pin It on Pinterest

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Receba as novidades do PRB no seu e-mail

Boletim 10: enviado às segundas-feiras. Não enviamos spam.