A luta da sociedade em respeito ao autismo

tania-bastos-prb-rj-foto-ascom-06-04-16

 

Define-se como autismo um transtorno de desenvolvimento que geralmente aparece nos três primeiros anos de vida e compromete as habilidades de comunicação e interação social (Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais). Ainda não há uma estatística exata quanto ao número de pessoas que sofrem deste transtorno, porém, de acordo com um relatório publicado pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA, o autismo e seus distúrbios relacionados são muito mais comuns do que se imagina.

Segundo a Associação Médica Americana, o autismo afeta quatro a cinco vezes mais meninos do que meninas. Presume-se que no Brasil, com seus 200 milhões de habitantes, cerca de 2 milhões são autistas. A herança genética representa 50% das chances de a criança desenvolver o autismo. A outra metade pode corresponder aos fatores exógenos, como o ambiente de criação. Apesar de o alto número, os milhões de brasileiros autistas ainda sofrem para encontrar tratamento adequado.

Há várias leis municipais, estaduais e federais que já  foram criadas e que devem ser exercitadas pelo poder público. A mais recente (municipal) Lei 5.917/2015, de minha autoria, institui o dever de promover ações que permitam aos profissionais na rede de atenção primária, Clínicas da Família, a realizar o diagnóstico precoce e o tratamento das pessoas com Transtorno do Espectro Autista. De acordo com a assessoria de comunicação da Secretaria Municipal de Saúde, chegamos a marca de 87 Clínicas da Família somente no município do Rio de Janeiro. Para os autistas, no entanto, são somente nove Centros de Atendimento Psicossocial (CAPS). Por que não ampliar?

O autismo ou Síndrome de Asperger pode ser diagnosticado de forma diferente, de acordo com o grau de comprometimento. O atualmente chamado Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) passou a ser considerado uma forma mais branda de autismo e, o quanto mais cedo for diagnosticado, mais fácil fica de se tratar.

As caminhadas realizadas são exatamente para dar a oportunidade a estas famílias de chamar a atenção da sociedade civil organizada e do poder público quanto ao transtorno para que haja políticas públicas, respeito e dignidade para estas pessoas. Eu como madrinha desta causa vou lutar até o fim para que as leis sejam cumpridas da forma correta!

* Tânia Bastos é vereadora pelo PRB Rio de Janeiro e coordenadora estadual do PRB Mulher

 

Eu repórter republicano

Quer ser um repórter republicano e ver sua matéria publicada no Portal PRB? É muito simples. A Agência PRB Nacional disponibiliza um contato direto para receber todo o conteúdo (textos e fotos). Anote aí o e-mail: pautas@prb10.org.br. Viu como é fácil? Agora é só participar e nos ajudar a manter esse canal sempre atualizado.

REPORTAR ERRO

Informar erro

COMPARTILHE

FALE CONOSCO

O PRB está de portas abertas para ouvir você

Sugestões, críticas, dúvidas e elogios

faleconosco@prb10.org.br

FALE COM O PARLAMENTAR

Nesta semana, envie sua mensagem para a deputada federal, Rosangela Gomes (PRB-RJ)

E-mail (clique aqui)
ou
(61) 3215-5438

QUEM É QUEM

Conheça as lideranças do Partido Republicano Brasileiro

CONFIRA

EU REPÓRTER

Deseja indicar uma matéria para sair aqui no Portal PRB?

pautas@prb10.org.br

RECEBA NO SEU E-MAIL

Enviamos para seu email os destaque da semana.
Faça parte do Boletim 10!

Respeitamos seu email. Não gostamos de SPAM.

Você foi inscrito com sucesso!

Pin It on Pinterest

Quer fazer um
Curso de Política GRATUITO?

Preencha para receber seu acesso ao curso!