“Abraçando o Pará” é o lema de Fábio Freitas para as eleições deste ano

“As dificuldades são muitas, mas a nossa missão é nobre”, afirma Fábio Freitas que tem rodado o Pará para ampliar a força republicana nas eleições deste ano

Com extensão territorial maior que países como Chile, Bolívia, França e Alemanha, o estado do Pará tem 1,2 milhão de metros quadrados. No entanto, isso não tem impedido o presidente estadual do PRB, o republicano Fábio Freitas de levar a mensagem de esperança da legenda paraa os municípios paraenses.

Dos 144 municípios, Freitas já visitou 132 deles. Na maioria das vezes, as viagens duram dias por estradas ruins e de barcos por longas distâncias. Já teve caso dele ficar até 30 dias viajando de uma cidade para outra por conta da imensa dificuldade que é viajar pelo Pará.

Fábio Freitas além de estar como presidente estadual do partido, é pré-candidato a deputado estadual nas eleições deste ano. A meta da legenda é eleger quatro deputados estaduais, dois federais e assegurar uma cadeira no Senado.

Confira a entrevista

Agência PRB Nacional – Como você está trabalhando para ter sucesso nas urnas?
Fábio Freitas – Eu tenho um slogan que estou usando que é “Abraçando o Pará”. Isso porque são mais de um milhão de quilômetros quadrados. Os municípios ficam muito distantes da capital Belém e estamos trabalhando por regiões. O estado, por ser muito grande, foi dividido em três partes, que são a região de Belém, Tapajós e Carajás. Como que estamos fazendo o trabalho? Não vamos somente na cidade e voltamos para Belém, pelo contrário, a gente fica 7, 14 e tem casos de até 30 dias fora de casa. Tem cidade que demora um dia de carro até a capital, isso sem contar as estradas ruins e em muitos lugares temos que ir de barco. Nesses três anos e seis meses que estou como presidente, das 144 cidades, eu já visitei 132. Não uma vez somente, mas de duas a três vezes e quantas vezes forem necessárias para que a população entenda nossas propostas.

Agência PRB Nacional – Nesse contato direto com o povo, que mensagem o PRB tem deixado para as pessoas?
Fábio Freitas – Estamos dizendo que não é possível fazer uma política nova com políticos velhos. Apresentamos novas ideias e projetos para a educação, saúde e segurança pública. Essa última, por exemplo, tem sido uma das maiores preocupações nossa. Só para ter uma ideia, tem final de semana que o número de homicídios passam de 40. Isso é uma realidade triste que estamos convivendo. Uma das cidades mais violentas do Brasil é Altamira, Belém também não fica longe disso, e estamos mobilizando nossas forças para enfrentar esse problema da criminalidade com geração de emprego e mais oportunidades para os jovens e pessoas que estão a procura de uma vida melhor.

Agência PRB Nacional – A escalação do time de republicanos que vai disputar as eleições já está pronta?
Fábio Freitas – Sim, está prontinha. Na verdade, esse é um projeto político que estamos construindo desde 2015. De lá para cá, conseguimos a adesão de muitas pessoas que lutam e querem o bem para todos. Estamos com a chapa pura de pré-candidatos a deputado estadual com 74 nomes e vamos ter que reduzir para 62 que é número máximo permitido, sendo que são 18 mulheres. Digo mais, não são mulheres para cumprir cota não, pelo contrário, são mulheres respeitadas pela sociedade e excelentes nomes para ganhar a eleição.  Temos empresariais, lideranças, professores, secretárias de municípios, republicanas que já tiveram 20 mil votos nas últimas eleições e reúnem todas as condições para conseguir uma vaga em outubro.

Agência PRB Nacional – Todas as regiões do Pará estão representadas nesse time de pré-candidatos?
Fábio Freitas – Temos pré-candidatos de todas os locais dos estado, em Santarém, Marabá e todas as regiões do Oeste, do Sul, da Ilha do Marajó,  onde fica o maior arqueólogo de cidades no Brasil sob áreas alagadas, e cidades com mais de 100 mil habitantes. Até lá, são seis horas de lancha ou 12 horas de barco. A meta é elegermos quatro deputados estaduais com votação cheia e o quinto na média dos votos.

Agência PRB Nacional – Como o PRB Pará vem para as eleições deste ano?
Fábio Freitas – Como existe ainda a coligação nesta eleição, nós decidimos que para a Assembleia Legislativa vamos com uma chapa pura, somente de republicanos. Já para Câmara dos Deputados, entendemos que o melhor caminho é compor com outros partidos. São quatro pré-candidatos a deputado federal e um senador. Focamos numa estratégia em que os candidatos a deputado estadual ajudarão o candidato a deputado federal em sua região. Essa casadinha é a nossa aposta para eleger pelos menos dois federais. Os nomes para a Câmara dos Deputados são Vavá Martins, Rogério Pereira, Dr. Marco Aurélio e Marcos Box Talento e o nosso pré-candidato ao Senado é Francisco Alves, conhecido como Chiquinho.

Agência PRB Nacional – Quais são as principais demandas sociais do Pará para essas eleições?
Fábio Freitas – A primeira delas é a educação de qualidade para todos. Nós, inclusive, já montamos o PRB Educação, um movimento que reúne 700 professores de várias regiões do estado e fizemos um debate para produzir dez propostas para melhorar a educação no estado, como se fosse um plano de governo, mas não é um plano de governo do governador e sim do PRB na gestão estadual e federal. No plano está a luta por melhoria de mobilidade de acesso às escolas, educação no campo porque muitas cidades não têm ensino médio e os estudantes só podem ficar na escola até o nono ano. É uma coisa séria e como o estado é grande, isso tem dificultado a locomoção desses jovens para estudar em outras cidades. Tem local que só é possível chegar de barco. A zona rural é extensa e nas cidades ilhas, locais que reúnem mais de 50 mil habitantes em vários pontos, para chegar na outra região da cidade é preciso ir de barco e as estradas são ruins. Um exemplo é Altamira, que tem bairros distantes mais de mil quilômetros da sede do município. De Belém a Santarém são 1,5 mil km, de Belém até Itaituba são um mil km, mas se você sair de Itaituba para Jacareacanga são mais 400 km de estrada de terra. A nossa luta para fazer o PRB Pará forte e organizado não tem sido fácil e estamos conseguindo cumprir essa missão.

Agência PRB Nacional – A falta de serviços públicos de saúde de qualidade também é um problema para o povo do Pará?
Fábio Freitas – Que estado não tem esse problema, não é mesmo? No Pará, há ainda dificuldade de acesso aos municípios e falta de infraestrutura. A saúde é precária devido a falta de saneamento básico em todo o estado que tem apenas 7% das cidades com sistema de saneamento. Acreditamos que o caminho está na contratação de mais profissionais de saúde e focar em campanhas educativas de saúde pública em todo o estado.

Agência PRB Nacional – Os números da violência no estado também são alarmantes, não é verdade?
Fábio Freitas – Sim, segurança pública tem sido uma das maiores preocupações dos paraenses. Está morrendo muita gente em todo estado por conta da violência, homens mulheres e o número de policiais assinados também é assustador. Até saiu um decreto do governador orientando que os policial não cumprimente a esposa e filhos na frente de casa por que os criminosos ficam de olho no policial para fazer o mal. Estamos preocupados com o povo mesmo e temos promovidos vários debates e buscando soluções para esse problema, oferecendo nossa contribuição.

Agência PRB Nacional – A falta de infraestrutura é uma demanda social muito solicitada também?
Fábio Freitas – Por incrível que pareça, as pesquisas de opinião pública não apontam a questão das estradas como uma necessidade primária. O povo não está preocupado com isso, na verdade os problemas são maiores nas áreas de saúde, educação e segurança pública.

Agência PRB Nacional – Será que é porque a deficiência nas outras áreas é muito grande?
Fábio Freitas – Acredito que sim. Não é que as pessoas não querem melhorar as estradas, mas entre os problemas enfrentados, a infraestrutura não está em primeiro lugar da lista. Já saiu reportagem demonstrando que o paraense consegue viver ganhando muito pouco. Isso porque a maioria da população, mesmo morando nas cidades, não deixaram de plantar, criar galinhas e outros animais. Além de nunca deixar de colher o Açaí e outros produtos da agricultura familiar. As pessoas não viajam muito pelo estado e vivem na região onde moram, sem grandes deslocamentos.

Agência PRB Nacional – Deve ser grande a quantidade de paraenses que não conhece a capital, não é?
Fábio Freitas – O Pará tem um 1,2 milhão de metros quadrados. É um estado enorme, maior que o Chile, Bolívia, França e Alemanha. Só para você ter uma ideia, eu fiz uma reunião com 100 pessoas numa cidade que fica a duas horas e meia da capital e durante a conversa perguntei quem conhecia Belém, só duas pessoas levantaram a mão. É muito desumano a desigualdade social que existe no Pará.

Agência PRB Nacional – Podemos afirmar que o objetivo do PRB e da sua pré-candidatura é fazer o Estado mais presente na vida das paraenses?
Fábio Freitas – Com certeza, esse é o nosso objetivo. Estamos trabalhando para fazer da política um instrumento de transformação social sem o assistencialismo. A gente não quer ajudar apenas uma pessoa e sim milhares, no coletivo, com uma ação organizada e efetiva. O nosso plano de trabalho está baseado na criação de políticas públicas eficazes para diminuir a desigualdade social, com educação, saúde e mais segurança pública. O Pará é muito rico, só precisamos fazer essa riqueza ser convertida para o melhoramento da vida das pessoas. Posso dizer que é uma riqueza mal utilizada. O Pará é o maior produtor de peixe do Brasil. Os dados apontam que da enorme quantidade de peixes nos rios e no mar, apenas 2% são extraídos. Tudo que se faz no Pará vende bem. Olha o exemplo do Açaí, que é uma paixão nacional. Então, o caminho está na geração de emprego com investimentos na infraestrutura das cidades, na saúde e educação.

Agência PRB Nacional – Falta dinheiro para os municípios atenderem essas demandas? Se sim, o que fazer para ampliar as receitas?
Fábio Freitas – Na verdade, as responsabilidades dos municípios são sempre maiores que a capacidade financeira de atendimento. Isso é uma realidade na maioria das prefeituras. No Pará, nós do PRB trabalhamos o tempo todo para buscar recursos por meio de emendas e convênios e para ampliar as receitas. Um exemplo disso foi a luta que travamos para aprovar a nova Cefem – Composição Fiscal da Extração Mineral. A exploração mineral é intensa na região sul, em Parauapebas, Curionópolis e Canaã, mas todo minério não fica no estado, é exportado. Fizemos uma mobilização da bancada republicana no Congresso Nacional e conseguimos aprovar a Cefem e garantir um aumento de 2% do líquido para 3,5% do bruto do royalties do minério, agora destinados para cinco cidades do estado que são Parauapebas, Curionópolis, Canaã, Eldorado e Marabá. Isso significa que essas prefeituras começaram a receber R$ 1 bilhão por ano para investimentos. Esse projeto foi aprovado no final de 2017 e os municípios já estão recebendo esses recursos e aplicando em educação, saúde e mais infraestrutura. Eu me juntei com os prefeitos e fomos conversar com o senador Eduardo Lopes (PRB-RJ), ao ex-ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira (PRB) e ao secretário nacional do PRB, Evandro Garla, e deu certo, o projeto foi aprovado.

Agência PRB Nacional – Ou seja, a extração mineral tem gerado investimentos em todo o estado?
Fábio Freitas – Sim, sem dúvida, é a principal atividade econômica geradora de recursos para as prefeituras. Mas tinha um problema com relação a essa exploração e nós também travamos uma luta e conseguimos vencer. Não existia ICMS sobre a extração mineral para exportação, ou seja, nós vendíamos o minério para fazer produtos como ferro, cobre, manganés e compramos de volta quatro vezes mais caro. Diante disso, conseguimos reverter a Lei Kandir e incluir a cobrança de ICMS na exportação do mineiro, isso vai gerar R$ 39 bilhões ao estado a partir de 2019. Essa mudança vale para o Brasil todo e foi uma luta travada por nós devido a importância dessa fonte de recursos para o povo paraense. Outra atuação nossa é que estamos buscando apoio e parcerias para criar indústrias no estado e fazer com que esse minério será processado e depois vendido para fora.

Agência PRB Nacional – Qual o segredo para manter o partido organizado e forte num estado como o Pará?
Fábio Freitas – Um dos segredos é a comunicação. As cidades ficam muito distantes uma das outras, mas com a chegada da internet, redes sociais e aplicativos de mensagens, essas distâncias foram diminuídas a um toque na tela. Mesmo com as dificuldades existentes no estado, todas as cidades tem rede de telefônica móvel com acesso e a transparência que temos com todas as nossas ações. Não se pode mais fazer política às escondidas e no PRB tudo é às claras, conversado e acertado por meio da seriedade e a verdade. No Pará, temos um projeto de partido e não pessoal, lá todos trabalham para fazer o PRB forte porque entendemos que um partido forte é formado por pessoas fortes. Tem muitos presidentes de outras legendas que o partido é deles e no PRB nós não temos esse pensamento, o PRB é nosso, é de todos. Cada republicano tem o seu papel de importância no partido e não existe um melhor que o outro, todos são iguais de direitos e deveres.

Agência PRB Nacional – Qual a força do PRB Pará em questão de representação política e organização partidária?
Fábio Freitas – Os nossos projetos deram muito certo. Os movimentos da Juventude, da Mulher, Igualdade Racial, Educação, Idoso e a Pesca são os seis pilares do partido no Pará. Onde tem debate sobre a problemática do povo, o PRB está envolvido no processo. Por isso, que nós montamos as dez propostas para cada setor e com esses projetos vamos para a eleição mostrar o que o a legenda tem a oferecer. A minha caminhada, por exemplo, é em defesa da juventude, quero ser o deputado estadual da juventude e também o deputado da família.

Agência PRB Nacional – Quais são os números do PRB Pará?
Fábio Freitas – Nós temos 35 vereadores, cinco vice-prefeitos, 20 secretários municipais e 30 primeiros suplentes de vereador. Tivemos vários vereadores que perderam a eleição por menos de dez votos, há casos que a diferença ficou em apenas um voto. Tivemos prefeitos que deixaram de ser eleitos por nove votos e não temos deputado estadual ou federal. A nossa luta nas eleições deste ano é ampliar nossa força. A meta é eleger pelos menos quatro estaduais, pelos menos dois federais e o nosso senador.

Agência PRB Nacional – Que frase resume o PRB Pará?
Fábio Freitas – O PRB é o partido da renovação, da esperança e de uma política séria e comprometida com as causas sociais. É isso que estamos passando para as pessoas na nossas andanças pelo estado. Com pouco que temos, já conseguimos fazer muita coisa, mas com muito vamos fazer muito mais pelo povo do Pará. Falam muito que somos sonhadores e eu respondo que os sonhos surgem para serem concretizados. É nisso que acreditamos, na força para o bem que todos nós temos.

Texto: Agência PRB Nacional
Fotos: Ascom – PRB Pará

Eu repórter republicano

Quer ser um repórter republicano e ver sua matéria publicada no Portal PRB? É muito simples. A Agência PRB Nacional disponibiliza um contato direto para receber todo o conteúdo (textos e fotos). Anote aí o e-mail: pautas@prb10.org.br. Viu como é fácil? Agora é só participar e nos ajudar a manter esse canal sempre atualizado.

LEIA TODAS AS ENTREVISTAS DA SEMANA
REPORTAR ERRO

Informar erro

COMPARTILHE

FALE CONOSCO

O PRB está de portas abertas para ouvir você

Sugestões, críticas, dúvidas e elogios

faleconosco@prb10.org.br

FALE COM O PARLAMENTAR

Nesta semana, envie sua mensagem para o senador Eduardo Lopes (PRB-RJ):

E-mail (clique aqui)
ou
(61) 3303-5730

QUEM É QUEM

Conheça as lideranças do Partido Republicano Brasileiro

CONFIRA

EU REPÓRTER

Deseja indicar uma matéria para sair aqui no Portal PRB?

pautas@prb10.org.br

RECEBA NO SEU E-MAIL

Enviamos para seu email os destaque da semana.
Faça parte do Boletim 10!

Respeitamos seu email. Não gostamos de SPAM.

Você foi inscrito com sucesso!

Pin It on Pinterest

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Receba as novidades do PRB no seu e-mail

Boletim 10: enviado às segundas-feiras. Não enviamos spam.