Pescado será estrela brasileira na Expo Milão 2015

Pescado será estrela brasileira na Expo Milão 2015

O ministro, que tem descendência italiana, ressaltou que a Expo Milão fortalecerá as parcerias históricas entre o Brasil e a Itália

 

Brasília (DF) – Uma exposição de negócios, cultura, tecnologia e entretenimento, realizada a cada cinco anos em importantes cidades do planeta, desde 1851, que já apresentou ao mundo maravilhas como a Torre Eiffel, em Paris, ou inovações como o telefone e o fogão a gás, é o cenário escolhido para o Brasil mostrar as suas extraordinárias potencialidades para produzir e exportar pescado de qualidade.

No próximo ano, a exposição será em Milão, cidade que possui a região metropolitana mais populosa da Itália. A Expo Milão 2015 ocorrerá entre os meses de maio e outubro. Nesses seis meses deverá atrair 20 milhões de visitantes, público que apenas perde, em popularidade, para a Copa do Mundo e as Olimpíadas.

“Esta será uma grande oportunidade para o mundo conhecer a diversidade de espécies, de sabor e de preparos culinários do nosso pescado”, disse o ministro da Pesca e Aquicultura, Marcelo Crivella (PRB-RJ), em Brasília, na abertura do encontro com empresários do setor interessados em participar da exposição. Realizado no auditório do MPA, o encontro preparatório foi prestigiado por representantes de órgãos públicos, autoridades e representantes de países como Itália, Rússia, França e Japão. Paralelamente, no saguão do ministério, foi realizada uma exposição de produtos de pescado brasileiros.

O ministro, que tem descendência italiana, ressaltou que a Expo Milão fortalecerá as parcerias históricas entre o Brasil e a Itália.

14_02_14_destaque03_rj_pescado_sera_estrela_brasileira_na_expo_milao_2015_capaSegundo o secretário executivo do MPA, Átila Maia da Rocha, que organiza a participação do pescado brasileiro na Expo Milão 2015, o Brasil optou por se tornar um grande produtor de peixes, moluscos e crustáceos. Nessa trajetória, criou inicialmente uma secretaria de pesca e depois o ministério. “O fortalecimento das exportações de pescado faz parte dessa trajetória”, explicou. A previsão é de que pelo menos 50 empresas brasileiras do setor marquem presença na exposição italiana.

Com a participação confirmada de 142 países e organizações internacionais, a Expo Milão 2015 mostra-se favorável a países produtores de alimentos como o Brasil. Afinal, o slogan escolhido para inspirar a ocasião é “Nutrir o Planeta, energia para a vida”.

De acordo com Fabio Resende, da Secretaria de Comércio Exterior (SECEX), as oportunidades de negócio para o pescado nacional são significativas. “O pescado representa 11% das exportações do agronegócio mundial e movimenta aproximadamente 1% do comércio global”, afirma. Para ele, o Brasil precisa participar mais ativamente desse grande mercado, já que tem um potencial “fantástico” para a produção de peixe.

Segundo Mônica Zerbinato, vice-presidente da comissão interministerial que organiza a participação brasileira na Expo Milão 2015, o pavilhão do País, com 4.133 m2, será um dos maiores do evento e terá uma localização privilegiada, próxima à entrada principal da exposição. O tema brasileiro será “Alimentando o mundo com soluções”. Zerbinato diz que o setor pesqueiro nacional pode aproveitar a ocasião para trabalhar a sua imagem e para movimentar negócios. Para alcançar esses objetivos existe o apoio do governo federal na área de exportações e do próprio MPA. Ela adianta que, no próximo dia 17 de fevereiro, será anunciada a empresa de arquitetura vencedora da concorrência para o projeto do pavilhão brasileiro.

Um dos empresários interessados em comparecer à Expo Milão 2015 é Marcelo Wippel, diretor-comercial da Marithimu’s Frutos do Mar, de Gavurá, Santa Catarina. A empresa é especializada em ostras, mexilhões, truta e salmão defumados em conserva. “Hoje produzimos 10 mil unidades por mês, o que representa apenas 30% de nossa capacidade, e por isso desejamos exportar, em especial para a Europa”, diz Wippel.

Empreendimentos conjuntos

O adido comercial da embaixada italiana em Brasília, Cristiano Murillo, defendeu a transferência de tecnologia pesqueira de seu País para o Brasil, bem como investimentos brasileiros na Itália. Ele vê a possibilidade do estabelecimento de empreendimentos conjuntos (“Joint Ventures”) e parcerias industriais entre os dois países. As oportunidades de negócio poderão ocorrer na Expo Milão – que terá um milhão de m2 de área e 60 pavilhões – e na Slow Fish, que será realizada em maio de 2015, na cidade italiana de Gênova.

Para Maria Fernanda Nince Ferreira, secretária de Planejamento e Ordenamento da Aquicultura do MPA, a Expo Milão 2015 será “uma vitrine mundial para as políticas públicas e os produtos da aquicultura brasileira”. Da parte do País, o “espírito” de entendimento e negociação também estará presente: “Queremos aproveitar esta oportunidade para trocar experiências técnicas e estabelecer cooperações com a Itália e outros países que, assim como o Brasil, estão adquirindo alta expertise no cultivo de pescado”, diz Maria Fernanda.

Atualmente o Brasil aproveita pouco mais de 10% do potencial pesqueiro estimado pela FAO para o País, de 20 milhões de toneladas anuais. Conforme essa organização, o mundo precisará de mais 50 milhões de toneladas até 2025, e o Brasil poderá dar uma importante contribuição para o atendimento dessa demanda. O pescado será produzido em grandes reservatórios públicos, no litoral e em propriedades rurais.

Prestigiou o encontro dos empresários brasileiros do setor de pescados, interessados em participar da Expo Milão 2015, diversos deputados e senadores, bem como autoridades como Abraão Lincoln dores e das Indústrias da Pesca de Itajaí e Região (SINDIPI); Armando Burle, presidente do Conselho Nacional de Pesca e Aquicultura (Conepe); e Vinicius Estrela, coordenador de imagem e acesso a mercados da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (APEX-Brasil). Entre os representantes internacionais, compareceram Satoshi Murosawa, da Agência de Cooperação Internacional do Japão; Kentaro Morita, secretário para assuntos agrícolas da Embaixada do Japão; Ivan Saytukhov, adido comercial adjunto da Rússia; e Myléne Testut-Neves, conselheira para assuntos agropecuários da Embaixada da França.

Texto e fotos: Ascom – MPA
Edição: Helen Assumpção / Agência PRB Nacional

 

Eu repórter republicano

Quer ser um repórter republicano e ver sua matéria publicada no Portal PRB? É muito simples. A Agência PRB Nacional disponibiliza um contato direto para receber todo o conteúdo (textos e fotos). Anote aí o e-mail: pautas@prb10.org.br. Viu como é fácil? Agora é só participar e nos ajudar a manter esse canal sempre atualizado.

REPORTAR ERRO

Informar erro

COMPARTILHE

FALE CONOSCO

O PRB está de portas abertas para ouvir você

Sugestões, críticas, dúvidas e elogios

faleconosco@prb10.org.br

FALE COM O PARLAMENTAR

Nesta semana, envie sua mensagem para a deputada federal Tia Eron

dep.tiaeron@camara.leg.br
(61) 3215-5618

QUEM É QUEM

Conheça as lideranças do Partido Republicano Brasileiro

CONFIRA

EU REPÓRTER

Deseja indicar uma matéria para sair aqui no Portal PRB?

pautas@prb10.org.br

RECEBA NO SEU EMAIL

Enviamos para seu email os destaque da semana.
Faça parte do Boletim 10!

Respeitamos seu email. Não gostamos de SPAM.

Você foi inscrito com sucesso!

Pin It on Pinterest