George Hilton destaca investimentos federais no legado olímpico para o país

George Hilton destaca investimentos federais no legado olímpico para o país

Em entrevista ao Programa Bom Dia Ministro, da TV NBR, Hilton falou do desempenho brasileiro no Pan e da organização para os Jogos Rio 2016.

 

Brasília (DF) – Em entrevista ao programa “Bom Dia Ministro”, da TV NBR, o ministro do Esporte, George Hilton (PRB), fez um balanço dos investimentos do governo federal na preparação dos atletas brasileiros e a construção da estrutura necessária para receber as Olimpíadas e Paraolimpíadas Rio 2016. Segundo o republicano, uma Rede Nacional de Treinamento está em formação e atenderá os desportistas da base ao alto rendimento.

“Criamos um programa chamado Brasil Medalhas. Investimos R$ 4 bilhões nos últimos quatro anos, em todo país. Estamos entregando centros de formação olímpica e paraolímpica, fizemos 12 centros de excelência em varias modalidades, além dos CIE’s (Centros de Iniciação ao Esporte), que serão mais de 260 e formarão uma Rede Nacional. Só em universidades, serão mais de 40 pistas de atletismo, todas certificadas”, afirmou Hilton, para acrescentar que estas iniciativas aliadas a investimentos diretos nos atletas, como a Bolsa Pódio, já dão resultados para o esporte brasileiro.

“Com esse conjunto de ações, desde a compra de equipamentos, a construção de centros de treinamento e a preparação dos atletas, eu tenho certeza de que o Brasil vai ter um desempenho muito importante no Rio de Janeiro. A nossa meta é ousada, mas eu acredito que os resultados que a gente vem tendo ao longo desses anos mostram que nós estamos no caminho”, completou.

A meta é ficar entre os dez primeiros colocados no quadro geral de medalhas nas Olimpíadas e entre os cinco nas Paraolimpíadas. O ministro considera que o desempenho do país no Pan-Americano de Toronto e em recentes Mundiais, credencia o Brasil a atingir os objetivos durante os Jogos Rio 2016. “A partir desses investimentos, a performance desses atletas começou a subir. Eles passaram a ter um desempenho melhor, não só em um evento como o Pan, mas estamos tendo campeonatos mundiais que também serão, para nós, um diagnóstico até muito mais apurado, porque há mais forças internacionais competindo”, afirmou.

A maior quantidade de medalhas obtidas em diferentes modalidades no último Pan, segundo Hilton também é um indicador do desenvolvimento esportivo do Brasil. “Consagramos algumas modalidades que tem tudo para chegar ao Rio e ganhar medalha de ouro, como a natação, que teve no Thiago mais um trunfo importante, colocando-o como maior medalhista de todos os tempos, e o judô que teve um desempenho espetacular. Além disso, modalidades que não tinham tantos resultados começam a surgir como grandes promessas e outras que não eram tão conhecidas começam a ganhar força. A evolução desses atletas é um indicativo que nós teremos uma Olimpíada bem competitiva”.

O objetivo do Ministério do Esporte é de dar continuidade aos investimentos após os Jogos de 2016. “Desde que o Rio foi anunciado como sede das Olimpíadas, o governo preparou o plano de legado que vai da construção dos centros de formação olímpicos e paraolímpicos aos centros de iniciação, para várias modalidades. Isso está sendo preparado e as prefeituras estão em fase de licitação. Entregamos um diagnóstico que mostra que 49% dos brasileiros são sedentários. Minha preocupação é não deixar que passe esse ciclo virtuoso de grandes eventos sem deixar um legado para o Brasil inteiro”, disse Hilton, para citar em seguida o projeto Vila do Esporte, que pretende equipar municípios com até 50 mil habitantes, com ginásio, pista de caminhada, academia ao ar livre e campo society.

“A Vila do Esporte é um equipamento que é mais barato para gerir. O município terá que entregar como contrapartida uma área com no mínimo 3,5 mil metros quadrados. Vamos colocar esses equipamentos e a partir deles, as escolas e os gestores poderão usá-los para o Segundo Tempo, Pelc, Vida Saudável, dentre outros programas para estes espaços”.

O ministro garantiu que ações como o Bolsa Atleta não sofrerão cortes com o contingenciamento das contas públicas. “Nós tivemos que contingenciar programas novos, justamente, para que o Bolsa Atleta não tivesse nenhum tipo de corte. Entendemos que é fundamental nessa reta final, que esses investimentos continuem para que os atletas não sofram nenhuma descontinuidade na preparação. O Ministério também tem bancado as viagens (das delegações), temos a preocupação que os locais onde acontecem treinamentos sejam providos de tecnologia e os recursos do Bolsa Atleta vão continuar”. Por fim, Hilton lembrou a importância das diferentes fontes de fomento ao esporte, como os convênios do Ministério com as confederações, a Lei Agnelo/ Piva e a Lei de Incentivo ao Esporte.

Fonte e foto: Ascom Ministério do Esporte

 

Eu repórter republicano

Quer ser um repórter republicano e ver sua matéria publicada no Portal PRB? É muito simples. A Agência PRB Nacional disponibiliza um contato direto para receber todo o conteúdo (textos e fotos). Anote aí o e-mail: pautas@prb10.org.br. Viu como é fácil? Agora é só participar e nos ajudar a manter esse canal sempre atualizado.

REPORTAR ERRO

Informar erro

COMPARTILHE

FALE CONOSCO

O PRB está de portas abertas para ouvir você

Sugestões, críticas, dúvidas e elogios

faleconosco@prb10.org.br

FALE COM O PARLAMENTAR

Nesta semana, envie sua mensagem para a deputada federal Tia Eron

dep.tiaeron@camara.leg.br
(61) 3215-5618

QUEM É QUEM

Conheça as lideranças do Partido Republicano Brasileiro

CONFIRA

EU REPÓRTER

Deseja indicar uma matéria para sair aqui no Portal PRB?

pautas@prb10.org.br

RECEBA NO SEU EMAIL

Enviamos para seu email os destaque da semana.
Faça parte do Boletim 10!

Respeitamos seu email. Não gostamos de SPAM.

Você foi inscrito com sucesso!

Pin It on Pinterest