Relatório de Roberto Alves que rejeita padronização de carregadores de celulares, é aprovado por unanimidade em Comissão

roberto-alves-prb-foto-ascom-27-08-15

A proposta obriga a padronização de interface para carregadores de telefones celulares, assunto que foi amplamente debatido em audiências públicas realizadas pela Comissão.

 

Brasília (DF) – A Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática (CCTCI) aprovou por unanimidade, nesta quarta-feira (26), o parecer de autoria do deputado Roberto Alves (PRB-SP) que rejeita o Projeto de Lei nº 32/2015. A proposta obriga a padronização de interface para carregadores de telefones celulares, assunto que foi amplamente debatido em audiências públicas realizadas pela Comissão. “Ao longo desse processo, conseguimos reunir subsídios valorosos e informações técnicas dos setores relacionados ao tema, até chegarmos a um consenso democrático”, afirma o republicano.

O relatório trouxe argumentos significativos, dentre eles o posicionamento da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que já contabilizou 2.526 modelos de aparelhos celulares e 500 tipos diferentes de carregadores para esses telefones e, que mesmo assim, não acreditam que a padronização seja uma boa alternativa.

“Unificar é proibir qualquer inovação nesse quesito. Por exemplo, se um fabricante nacional viesse a desenvolver uma nova modalidade de carregador, com vantagens em relação aos então existentes, haveria uma proibição legal para a sua adoção, gerando assim uma limitação tecnológica forçada pelo poder público”, garante Vitor Menezes, superintendente da Anatel.

Segundo a agência reguladora, a imposição de um carregador padronizado para telefones fabricados ou comercializados no Brasil colocaria o País em uma condição inferior ao restante do mundo. Um custo adicional seria imposto ao setor, o que acarretaria em perda de competitividade de uma área que tem intensas cadeias globais de trocas.

Menezes chegou a citar que a falta de consenso dos fabricantes e os problemas de administração de patentes sempre foram um empecilho na tentativa de adotar possíveis padrões no Brasil. “Em 2012 propomos padronizar apenas o conector do cabo de alimentação ao celular, mas tivemos que recuar da decisão por não haver qualquer acordo com as indústrias”, lamenta.

Representantes do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior lembraram que as unificações que aconteceram na Europa vieram de uma iniciativa onde o caráter voluntário dos fabricantes foi preponderante, algo que eles consideram essencial para o efetivo sucesso de operações regulatórias desse tipo.

Consumidores e ambientalistas

Durante as audiências, o diretor jurídico do Procon e os coordenadores do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (ProTeste) e da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), alegaram que a falta de padronização não gera grandes transtornos para a população e não se configura uma ofensa aos direitos do consumidor.

“Precisamos ainda de estudos mais profundos sobre os verdadeiros impactos que esse padrão pode causar. O processo de adaptação da indústria geraria um alto custo, valor a mais que seria pago pelo próprio consumidor, diminuindo o acesso ao bem de consumo”, explica Celso Soares, da Senacon.

Com relação aos impactos ambientais, o vice-diretor da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), Benjamin Sicsú, garante que com a padronização os efeitos ao meio ambiente seriam piores. “Imaginem o que iria gerar de lixo eletrônico com os celulares e carregadores fora do padrão, que seriam facilmente descartados? Com certeza seria mais do que o que temos de lixo eletrônico hoje, que já é muito”, ressalta.

Para Sicsú, não é a unificação que vai gerar uma solução ambiental. “Temos que pensar em campanhas onde vende-se menos carregadores quando se compra novos celulares. Muitos consumidores já possuem os mesmos carregadores em casa e poderiam ter a opção de levar ou não o novo carregador”, esclarece.

 

Texto e foto: Ana Lídia Monteiro / Ascom – deputado federal Roberto Alves
Edição: Agência PRB Nacional de Notícias

Eu repórter republicano

Quer ser um repórter republicano e ver sua matéria publicada no Portal PRB? É muito simples. A Agência PRB Nacional disponibiliza um contato direto para receber todo o conteúdo (textos e fotos). Anote aí o e-mail: pautas@prb10.org.br. Viu como é fácil? Agora é só participar e nos ajudar a manter esse canal sempre atualizado.

REPORTAR ERRO

Informar erro

COMPARTILHE

FALE CONOSCO

O PRB está de portas abertas para ouvir você

Sugestões, críticas, dúvidas e elogios

faleconosco@prb10.org.br

FALE COM O PARLAMENTAR

Nesta semana, envie sua mensagem para a deputada federal, Rosangela Gomes (PRB-RJ)

E-mail (clique aqui)
ou
(61) 3215-5438

QUEM É QUEM

Conheça as lideranças do Partido Republicano Brasileiro

CONFIRA

EU REPÓRTER

Deseja indicar uma matéria para sair aqui no Portal PRB?

pautas@prb10.org.br

RECEBA NO SEU E-MAIL

Enviamos para seu email os destaque da semana.
Faça parte do Boletim 10!

Respeitamos seu email. Não gostamos de SPAM.

Você foi inscrito com sucesso!

Pin It on Pinterest

Quer fazer um
Curso de Política GRATUITO?

Preencha para receber seu acesso ao curso!