Em audiência pública, Rosangela Gomes faz alerta sobre aumento da mortalidade materna de negras no Brasil

Em audiência pública, Rosangela Gomes faz alerta sobre aumento da mortalidade materna de negras no Brasil

O percentual de mortalidade materna é de 62,8% de mulheres negras e 35,6% de mulheres brancas, segundo Relatório Socioeconômico da Mulher. Para a republicana, os índices se agravam ainda mais quando associados a questões como raça, cor e escolaridade.

 

Brasília (DF) – Por solicitação da deputada federal Rosangela Gomes (PRB-RJ), a Câmara dos Deputados realizou audiência pública para debater a mortalidade materna e o impacto sobre a vida das mulheres negras no Brasil. O evento aconteceu na última terça-feira (09), na Subcomissão Especial destinada a avaliar as políticas de assistência social e saúde da população negra.

rosangela-gomes-prb-mortalidade-materna-audiencia-camara-foto-alex-ferreira-11-06-15-02Rosangela Gomes alerta que as mulheres negras são as que mais morrem no Brasil por procedimentos obstétricos, segundo dados do Relatório Socioeconômico da Mulher. De acordo com o levantamento, o percentual é de 62,8% de mulheres negras e 35,6% de mulheres brancas. Só no Rio de Janeiro, uma mulher morre por esse motivo a cada dois dias no Sistema Único de Saúde, sendo que as principais causas de morte são hipertensão (20%), hemorragia (12%) e aborto (5%). “Infelizmente, esses índices se agravam quando associados a questões como raça, cor e escolaridade. Não podemos aceitar essa situação. As ações e políticas públicas devem ser as mesmas para todos e a mulher negra não poder ser desfavorecida”, apontou.

A parlamentar aponta que existe um ‘racismo institucional’ camuflado, uma vez que os números comprovam tal situação. “Os casos de mortes entre mulheres brancas teve uma redução significativa, no entanto, a mortalidade de mulheres negras é preocupante e temos que propor ações imediatas para reverter esse cenário”, lamenta Rosangela.

Dados apresentados por especialista durante o debate, revelam que de 2000 a 2012, as mortes por hemorragia entre mulheres brancas, por exemplo, caíram de 141 para 93 casos, por 100 mil partos. Entre mulheres negras, o número saltou de 190 para 202. Já o aborto entre mulheres brancas teve uma queda de 39 para 15, por 100 mil partos. O número entre negras subiu de 34 para 51.

Participaram do debate a Dra. Jurema Werneck, representante da ONG Criola; a professora Isabel Cruz, do núcleo de estudos sobre saúde e etnia negra da Universidade Federal Fluminense; Alaerte Leandro Martins, representante da Articulação Nacional de Organizações de Mulheres Negras Brasileiras (ANMB); e Larissa Amorim Borges, diretora de programas da Secretaria de Políticas de Ações Afirmativas da Secretaria da Mulher da Câmara dos Deputados.

Texto: Fábia Andres / Ascom – deputada federal Rosangela Gomes
Edição: Laize Andrade / Ascom – Liderança do PRB
Fotos: Alex Oliveira / Agência Câmara

 

Eu repórter republicano

Quer ser um repórter republicano e ver sua matéria publicada no Portal PRB? É muito simples. A Agência PRB Nacional disponibiliza um contato direto para receber todo o conteúdo (textos e fotos). Anote aí o e-mail: pautas@prb10.org.br. Viu como é fácil? Agora é só participar e nos ajudar a manter esse canal sempre atualizado.

REPORTAR ERRO

Informar erro

COMPARTILHE

FALE CONOSCO

O PRB está de portas abertas para ouvir você

Sugestões, críticas, dúvidas e elogios

faleconosco@prb10.org.br

FALE COM O PARLAMENTAR

Nesta semana, envie sua mensagem para a deputada federal Tia Eron

dep.tiaeron@camara.leg.br
(61) 3215-5618

QUEM É QUEM

Conheça as lideranças do Partido Republicano Brasileiro

CONFIRA

EU REPÓRTER

Deseja indicar uma matéria para sair aqui no Portal PRB?

pautas@prb10.org.br

RECEBA NO SEU E-MAIL

Enviamos para seu email os destaque da semana.
Faça parte do Boletim 10!

Respeitamos seu email. Não gostamos de SPAM.

Você foi inscrito com sucesso!

Pin It on Pinterest