Eduardo Lopes propõe que apadrinhamento seja regulamentado

Eduardo Lopes propõe que apadrinhamento seja regulamentado

Tema foi debatido em Portugal

Brasília (DF) – O tema de projeto do senador Eduardo Lopes (PRB-RJ) foi discutido, no início de junho, no “Encontro IBDFAM/CDF”, na Universidade de Coimbra, em Portugal, promovido pelo Instituto Brasileiro de Direito de Família (IBDFAM). O encontro teve por objetivo a troca de informações sobre temas importantes para os dois países, que entre os assuntos abordados, especialmente pelos juristas, foi o apadrinhamento civil.

Um dos mais respeitados especialistas do Brasil, o professor e consultor jurídico Flávio Tartuce, na oportunidade defendeu o projeto (PLS 171/2013) do senador, que regulamenta o “apadrinhamento/amadrinhamento legal” de menores. “A realidade demonstra que a nossa prática de apadrinhamento é realmente esta que o Projeto de Lei n. 171/2013 traz como conteúdo. Estou filiado à projeção, pois ela acaba regulando algo que já acontece de forma espontânea na prática brasileira, concretizando a solidariedade estampada no art. 3º, inciso I, da Constituição Federal de 1988”, disse Tartuce.

A proposta de Lopes visa o compromisso voluntário formal, com o objetivo de garantir o sustento a crianças e adolescentes sem a interferência no exercício do poder familiar.

Para o senador, o menor passará a dispor de meios materiais para crescer com saúde, educação, lazer e outros direitos. Além de afastá-lo do mundo do crime. “É uma convincente arma contra a criminalidade, por prometer desestimular o ingresso de crianças e adolescentes que, com o suporte material de seus padrinhos, serão convidados a conduzir-se para uma vida de bem. E, ademais, o Estado também será beneficiado, ao ser poupado dos desgastes financeiros e de pessoal que a pobreza e a criminalidade provocam anualmente”, destacou.

Apadrinhamento Total/Parcial

Segundo a proposta, na modalidade total, as necessidades do apadrinhado serão bancadas integralmente pelo padrinho. Ele poderá assumir o sustento de até duas crianças ou adolescentes, salvo se eles tiverem irmãos. Apadrinhamento não será considerado para fins previdenciários e fiscais, sem romper o vínculo de dependência mantido com o responsável legal.

No caso parcial, o padrinho passará a contribuir mensalmente, em dinheiro, bens ou serviços, em favor do menor. Além de não haver limite quanto ao número de beneficiários, essa modalidade não impõe a condição de dependência de um em relação ao outro.

“Por fim, não se deixe de salientar que a conduta patrocinada já é amplamente praticada no Brasil. Diversas pessoas, movidas pelo belíssimo sentimento de solidariedade e de afeto, “apadrinham” crianças e adolescentes de famílias humildes, doando-lhes bens e recursos mensalmente. Essa prática, infelizmente, ainda não é devidamente reconhecida nem estimulada pelo Estado”, finalizou Lopes em sua justificativa ao projeto.

O senador Cristovam Buarque, relator do projeto na Comissão dos Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), parabenizou o autor do projeto, que poderá diminuir as dificuldades das famílias mais carentes, além de incentivar o espírito solidário. “É louvável a iniciativa do senador Eduardo Lopes em favor das crianças e dos jovens que vivem em famílias que sofrem dificuldades materiais e sociais extremadas. Sua proposta de apadrinhamento pode se tornar um meio adicional e suplementar para minorar as dificuldades das famílias, motivando a solidariedade e a caridade de pessoas que possam ser mobilizadas a apoiar essas crianças diretamente e sem burocracias”, salientou Buarque.

A matéria encontra-se na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado Federal. Sendo aprovada seguirá para à Câmara dos Deputados.

Texto: Junior Laurindo / Ascom – senador Eduardo Lopes
Foto: Moreira Mariz – Agência Senado

 

Eu repórter republicano

Quer ser um repórter republicano e ver sua matéria publicada no Portal PRB? É muito simples. A Agência PRB Nacional disponibiliza um contato direto para receber todo o conteúdo (textos e fotos). Anote aí o e-mail: pautas@prb10.org.br. Viu como é fácil? Agora é só participar e nos ajudar a manter esse canal sempre atualizado.

REPORTAR ERRO

Informar erro

COMPARTILHE

FALE CONOSCO

O PRB está de portas abertas para ouvir você

Sugestões, críticas, dúvidas e elogios

faleconosco@prb10.org.br

FALE COM O PARLAMENTAR

Nesta semana, envie sua mensagem para a deputada federal Tia Eron

dep.tiaeron@camara.leg.br
(61) 3215-5618

QUEM É QUEM

Conheça as lideranças do Partido Republicano Brasileiro

CONFIRA

EU REPÓRTER

Deseja indicar uma matéria para sair aqui no Portal PRB?

pautas@prb10.org.br

RECEBA NO SEU EMAIL

Enviamos para seu email os destaque da semana.
Faça parte do Boletim 10!

Respeitamos seu email. Não gostamos de SPAM.

Você foi inscrito com sucesso!

Pin It on Pinterest