Revolução na gestão do setor pesqueiro nacional

eduardo-lopes-prb-rj-31-foto-douglas-gomes

 

No Brasil precisamos de políticas públicas consistentes e que promovam resultados mais efetivos para a sociedade. Por isso, o Ministério da Pesca e Aquicultura anunciou recentemente um conjunto de medidas que promete revolucionar a gestão pesqueira nacional, sobretudo com a utilização de tecnologia de ponta.

A medida é imperiosa. O Brasil precisa atender à sua crescente demanda interna por pescado e ampliar as suas vendas para o mercado mundial, onde o peixe é a proteína mais consumida.

Nosso país tem vocação para a produção de peixes (tilápia, tambaqui, pintado, entre outros), crustáceos (camarão, por exemplo) e moluscos (ostras, vieiras e mexilhões).

Com tecnologia, criatividade e novos processos, esperamos superar a complexidade da gestão pesqueira em um País de dimensões continentais como o Brasil.

Neste ponto devemos lembrar que são protagonistas do setor pescadores artesanais, industriais, amadores; pescadores/cultivadores de peixes ornamentais e aquicultores. Cada um desses públicos, por sua vez, se fragmenta em muitos outros. No Brasil, por exemplo, existem quase um milhão de pescadores artesanais, e os alvos, as embarcações e os métodos de captura se alteram muito. As espécies são as mais variadas possíveis. Apenas a Amazônia detêm aproximadamente 25% das espécies de peixe do planeta.

Na aquicultura, existem produtores dedicados a piscicultura, a carcinicultura, a malacocultura e algicultura. Cada espécie de peixe ou camarão exige uma competência específica para o êxito do criatório.

A estratégia de nosso ministério para revolucionar a gestão pesqueira passa pela consolidação do Sistema Nacional de Informações da Pesca e Aquicultura (Sinpesq).

Nesse sistema teremos uma visão conjunta de nosso setor. Serão dados de todos os programas e ações do Registro Geral da Atividade Pesqueira (RGP), que inclui profissionais da pesca, embarcações, empresas de comercialização do setor e muitos outros. O sistema abrangerá informações de controle e monitoramento.

Com a integração das informações em um único banco de dados pelo Sinpesq será possível identificar com precisão os falsos pescadores. O sistema será ainda uma ferramenta importante para o combate à pesca ilegal e a fiscalização sanitária.

Outra vantagem é que o Sinpesq estará dialogando com outros sistemas do governo Federal, permitindo uma relação mais transparente com a sociedade.

Em outra ponta, o sistema será abastecido por informações transmitidas pela nova carteira profissional de pescadores que contará com tecnologia eletrônica de identificação por radiofrequência com formato de cartão magnético, mais resistente à água e à ação do tempo.

Essa tecnologia permite checar se o pescador está exercendo a atividade e onde e quando pescou.  Em poucos meses os interessados já terão em mãos a sua carteira, disponibilizadas em agências bancárias autorizadas.

A estimativa é de que com a medida seja possível uma economia de até 20% no pagamento do seguro-desemprego do pescador profissional artesanal, algo equivalente a R$ 580 milhões.

A tecnologia eletrônica de identificação por radiofrequência também chegará às embarcações pesqueiras. Afinal, é preciso saber onde elas se encontram nos períodos de defeso, se estão em atividade em áreas autorizadas e se obedecem a cotas destinadas à captura de certas espécies no mar, para impedir a sobre-explotação.

A inovação permitirá ainda coletar informações sobre produção, mapas de bordo, métodos de pesca utilizados e diesel subvencionado.

Em uma segunda fase, pretendemos instalar pontos oficiais de desembarque pesqueiro no interior e no litoral, para obter em tempo real informações sobre a produção.

Assim, podemos afirmar que o Brasil está se preparando para participar, em melhores condições, de um dos mercados mais promissores deste século, que é o da produção de pescado.

Eduardo Lopes é ministro da Pesca e Aquicultura

 

(Artigo publicado originalmente no site Congresso em Foco)

 

TAGS:
REPORTAR ERRO

Informar erro

COMPARTILHE

FALE CONOSCO

O PRB está de portas abertas para ouvir você

Sugestões, críticas, dúvidas e elogios

faleconosco@prb10.org.br

FALE COM O PARLAMENTAR

Nesta semana, envie sua mensagem para a deputada federal Tia Eron

dep.tiaeron@camara.leg.br
(61) 3215-5618

QUEM É QUEM

Conheça as lideranças do Partido Republicano Brasileiro

CONFIRA

EU REPÓRTER

Deseja indicar uma matéria para sair aqui no Portal PRB?

pautas@prb10.org.br

RECEBA NO SEU EMAIL

Enviamos para seu email os destaque da semana.
Faça parte do Boletim 10!

Respeitamos seu email. Não gostamos de SPAM.

Você foi inscrito com sucesso!

Pin It on Pinterest