Áreas de descanso: uma necessidade mais que urgente

Sula Miranda - Coordenadora nacional PRB Transporte

Sula Miranda – Coordenadora Nacional do PRB Transporte

 

Dirigir muito e descansar pouco. Uma rotina na vida dos milhares de caminhoneiros que recebem por frete. Dia e noite eles estão na estrada. A maioria sempre com pressa, porque trabalha como autônomo e quanto mais viaja, mais ganha. Só que quanto mais viaja e menos descansa, maior é o risco de acidente. É uma conta perigosa, por vezes mortal.

É preciso dar condição para esses trabalhadores executarem a sua função da maneira mais correta. Ou seja, eles precisam ter um lugar de descanso. Não adianta o caminhoneiro se “jogar” no meio do mato ou parar em um posto de gasolina qualquer, onde o índice de assaltos com consequências mortais é alto. Há outros riscos, sequestros, prostituição, etc. Isso justifica uma verdade: o motorista não dorme, o motorista superficializa o sono. É preciso ficar atento sempre.

Por isso, eu defendo a construção de áreas de apoio com a infraestrutura necessária para o caminhoneiro descansar. Essa situação, muito rara nas estradas brasileiras é uma condição essencial para a melhoria do transporte rodoviário e consequentemente a diminuição dos acidentes nas estradas e outros problemas que já se tornaram rotina.

Existem leis que impõem paradas aos motoristas profissionais, mas mais uma vez surgiram empecilhos. O primeiro é que o Governo Federal vetou um artigo de uma proposta que obriga as concessionárias de rodovias a construírem as áreas de descanso. A justificativa do Ministério dos Transportes, que vetou esse projeto é que isso pode aumentar o preço do pedágios e consequentemente o valor do frete.

Sei – é o segundo problema – que há muita imprudência e também negligência de muitos caminhoneiros, mas, como diz o ditado “é

preciso estimular a formiga para o formigueiro operar de forma coesa e correta”. Leis e obrigações devem sim ser seguidas, mas é preciso estímulo para tal.

É preciso debater em audiências públicas a possibilidade dos novos concessionários incluírem nas suas obrigações as instalações de pontos de parada. Sei que nas atuais fica muito difícil porque isso significa rompimento de contrato e rompimento de contrato abre uma brecha para várias outras coisas que viriam por trás disso. Então eu prefiro evitar polêmicas, ser ágil e pragmática (prática), porque se não olharmos com atenção para esse problema, com certeza o número de acidentes vai aumentar.

É uma via de duas mãos. O sistema precisa de ajustes e só haverá correção se houver início pela base, que é o tratamento digno ao trabalho do motorista de caminhão.

*Sula Miranda é coordenadora nacional do PRB Transporte

 

Eu repórter republicano

Quer ser um repórter republicano e ver sua matéria publicada no Portal PRB? É muito simples. A Agência PRB Nacional disponibiliza um contato direto para receber todo o conteúdo (textos e fotos). Anote aí o e-mail: pautas@prb10.org.br. Viu como é fácil? Agora é só participar e nos ajudar a manter esse canal sempre atualizado.

REPORTAR ERRO

Informar erro

COMPARTILHE

FALE CONOSCO

O PRB está de portas abertas para ouvir você

Sugestões, críticas, dúvidas e elogios

faleconosco@prb10.org.br

FALE COM O PARLAMENTAR

Nesta semana, envie sua mensagem para a deputada federal Tia Eron

dep.tiaeron@camara.leg.br
(61) 3215-5618

QUEM É QUEM

Conheça as lideranças do Partido Republicano Brasileiro

CONFIRA

EU REPÓRTER

Deseja indicar uma matéria para sair aqui no Portal PRB?

pautas@prb10.org.br

RECEBA NO SEU EMAIL

Enviamos para seu email os destaque da semana.
Faça parte do Boletim 10!

Respeitamos seu email. Não gostamos de SPAM.

Você foi inscrito com sucesso!

Pin It on Pinterest