A água: Um bem comum não negociável

sb_9_1_12_artigosetextos_prb_verde_sergio_lemberck

A água é um bem público inegociável dotada de valores fundamentais para a Humanidade, suas comunidades e toda a sociedade, que devem ter asseguradas salvaguardas territoriais e sua preservação, em quantidade e qualidade, para conservá-las adequadas para o consumo e os costumes dos seres vivos dos ecossistemas.
A água no mundo  

A quantidade de água doce no mundo estocada em rios e lagos, pronta para o consumo, é suficiente para atender de 6 a 7 vezes o mínimo anual que cada habitante do Planeta precisa (ONU).

Representa apenas 0,6% do total de água no Planeta. O restante dos 2,4% de água doce está nos lençóis freáticos e aqüíferos, nas calotas polares, geleiras, neve permanente e outros reservatórios, como pântanos, por exemplo.

Se em termos globais a água doce é suficiente para todos, sua distribuição é irregular no território. Os fluxos estão concentrados nas regiões intertropicais, que possuem 50% do escoamento das águas. Nas zonas temperadas, estão 48%, e nas zonas áridas e semi-áridas, apenas 2%. Além disso, as demandas de uso também são diferentes, sendo maiores nos países desenvolvidos.

O cenário de escassez se deve não apenas à irregularidade na distribuição da água e ao aumento das demandas – o que muitas vezes pode gerar conflitos de uso – mas também ao fato de que, nos últimos 50 anos, a degradação da qualidade da água aumentou em níveis alarmantes.

Atualmente, grandes centros urbanos, industriais e áreas de desenvolvimento agrícola com grande uso de adubos químicos e agrotóxicos já enfrentam a falta de qualidade da água, o que pode gerar graves problemas de saúde pública.

A água é um recurso natural não negociável

A água apresenta-se como um dos mais importantes recursos naturais, uma substância integradora responsável pelo favorecimento da vida na terra. Para a Humanidade, a água doce mostra-se como um recurso essencial à sua subsistência e às suas atividades, sejam elas culturais, sociais, econômicas e ambientais.

A água é um bem comum, não sendo um recurso negociável. A água não é um produto comercial como outro qualquer, mas um patrimônio que deve ser protegido, defendido e tratado como tal, pois a água é essencial para a vida no Planeta Terra.

Recurso natural renovável através do ciclo hidrológico, mas finito, nem sempre está disponível para uso no local e momento, em quantidade e qualidade desejadas.

A água revela-se como um recurso estratégico, de uso e interesse coletivo que deve fazer parte de qualquer matriz de planejamento de desenvolvimento econômico, levando-se em consideração principalmente sua disponibilidade (Hogan et al.- 1998).

As nascentes, córregos, rios e lagos são considerados bens públicos – e, portanto, não negociáveis – o seu produto – a água – quando utilizado em seus múltiplos fins, se torna um bem econômico com um mercado consumidor garantido. E como todo bem público, a água deve ser gerida pelo Estado a fim de se garantir o uso pela coletividade e a preservação do recurso. (Dorfman, 1993).

A utilização dos recursos hídricos deve ser sustentável, isto é, deve ser administrado globalmente, com o objetivo de atender a sociedade agora e no futuro, mantendo a integridade ecológica, ambiental e hidrológica (UNESCO, 1999).

A água doce no Planeta Terra

É previsto que em breve a água doce será a causa principal de conflitos entre nações. Há sinais dessa tensão em áreas do planeta como Oriente Médio e África.

Algumas medidas para diminuir o consumo de água:

Reduzir o consumo excessivo de água que pode causar escassez das águas com alta qualidade.

Proteger as nascentes de rio, conservar matas e as nascentes de rios.

Reduzir a erosão próxima a rios e lagos, devendo ser regulada pela presença de matas ciliares bem formadas.

Preservar as matas ciliares em torno dos rios, que são de extrema importância tanto para a ecologia dos animais quanto para a manutenção da permeabilidade do solo em torno dos rios, o que é essencial para a manutenção e aumento do volume de água nos mesmos.

Combater a poluição de rios do despejo de esgoto doméstico e industrial, vazamento de chorume de aterros sanitários e a contaminação por compostos tóxicos

Planejar bem a construção de usinas onde os aspectos de impacto ambiental são deixados de lado quando se trata da geração de energia.

Estima-se que 9,3 bilhões de pessoas devem habitar a Terra até 2050. Entre 2 bilhões e 7 bilhões não terão acesso à água de qualidade (UNESCO). Portanto devemos proteger e preservar e usar a água com equilíbrio e sustentabilidade, pois é um recurso natural finito, inegociável e essencial a vida na Terra.

Prof. Sérgio Lemberck é Pesquisador em Meio Ambiente e Tecnologias e também o Presidente Nacional do PRB Verde

 

TAGS:
REPORTAR ERRO

Informar erro

COMPARTILHE

FALE CONOSCO

O PRB está de portas abertas para ouvir você

Sugestões, críticas, dúvidas e elogios

faleconosco@prb10.org.br

FALE COM O PARLAMENTAR

Nesta semana, envie sua mensagem para a deputada federal Tia Eron

dep.tiaeron@camara.leg.br
(61) 3215-5618

QUEM É QUEM

Conheça as lideranças do Partido Republicano Brasileiro

CONFIRA

EU REPÓRTER

Deseja indicar uma matéria para sair aqui no Portal PRB?

pautas@prb10.org.br

RECEBA NO SEU EMAIL

Enviamos para seu email os destaque da semana.
Faça parte do Boletim 10!

Respeitamos seu email. Não gostamos de SPAM.

Você foi inscrito com sucesso!

Pin It on Pinterest