Crivella fundeia plataformas SIMA em Minas Gerais

02_08_13_destaque03_mg_crivella_fundeia_plataformas_simas_minas_gerais001

O ministro da Pesca e Aquicultura, Marcelo Crivella (PRB-RJ) confirmou que as plataformas de Coleta de Dados do Projeto Furnas já estão fundeadas. O conjunto de plataformas é composto por uma plataforma principal (SIMA – Sistema Integrado de Monitoramento Ambiental), e por cinco sondas menores (secundárias). O processo de fundeio foi realizado de 11 a 26 de julho no sul de Minas Gerais no município de Guapé. A Plataforma Principal já está transmitindo dados meteorológicos e limnológicos via satélite.

Os equipamentos fazem parte do Projeto Furnas – “Desenvolvimento de Sistema de Monitoramento para Gestão Ambiental da Aquicultura no Reservatório de Furnas (MG): suporte para a consolidação de indicadores para o plano de monitoramento e gestão ambiental da aquicultura”, financiado pelo Ministério da Pesca e Aquicultura e coordenado pela Embrapa Meio Ambiente (Jaguariúna, SP), em parceria com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e com a Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA).

As Plataformas Secundárias registram, a cada 10 minutos, parâmetros da qualidade da água como pH, oxigênio dissolvido, temperatura da água em 15 profundidades, condutividade elétrica e turbidez. O SIMA, além destes parâmetros, mede a radiação solar, a pressão atmosférica, a umidade relativa do ar e a direção e magnitude do vento. Estes dados ficam disponíveis para os pesquisadores em um banco de dados e serão utilizados para auxiliar no manejo da criação de peixes (tilápias), em tanques-rede de cerca de 10 produtores locais e, principalmente, para estudos visando à diminuição de possíveis impactos ambientais da produção aquícola. Além disso, contribuirá para a realização de Boas Práticas de Manejo (BPM) e para a gestão produtiva e ambiental de parques aquícolas.

02_08_13_destaque03_mg_crivella_fundeia_plataformas_simas_minas_gerais002“O mundo tem fome e o pescado é fundamental para a segurança alimentar. Com o uso de 0,5% dos nossos reservatórios podemos produzir até 20 milhões de toneladas de pescado por ano e a água de qualidade é fundamental. Com esse sistema, vamos acompanhar, em tempo real, o comportamento da água utilizada para a produção do pescado, contribuindo para a preservação da qualidade deste importante recurso”, destacou o ministro da pesca, Marcelo Crivella.

De acordo com a pesquisadora da Embrapa Meio Ambiente e coordenadora do projeto, Fernanda Garcia Sampaio, no período de 11 a 26 de julho de 2013 foram realizadas Campanhas de Campo para fundeio da Plataforma Principal e das cinco Plataformas Secundárias. “As plataformas foram fundeadas em locais pre-definidos após extensa pesquisa de diagnóstico da piscicultura em tanque-rede no reservatório de Furnas”.

Segundo ela, “os registros são feitos a cada 10 minutos e transmitidos de hora em hora. Os equipamentos permanecerão de 15 a 20 dias em processo de comissionamento (testes e adequações). Após este período os dados representarão as variáveis limnológicas e meteorológicas dos locais”, explica.

De acordo ainda com Fernanda, as sondas mostrarão não apenas a influência da aquicultura no meio ambiente como também a de outras atividades produtivas na região, como da agricultura. “As sondas também podem se transformar em uma ferramenta de gestão para os aquicultores”, salienta ela.

Para o chefe geral da Embrapa Meio Ambiente, Celso Manzatto, “o trabalho em Furnas é um passo importante para a criação de uma Rede Nacional de Monitoramento de Parques Aquícolas”, disse. No futuro, o sistema poderá ser adotado em todos os parques aquícolas existentes ou a serem implantados no Brasil.

O processo de fundeio das sondas teve o apoio do Departamento de Meio Ambiente e Agronegócio, da Prefeitura Municipal de Guapé, MG. Ao longo do período foram mobilizadas equipes do INPE, Neuron Eletrônica e da Embrapa Meio Ambiente. Após visita a campo para medição das profundidades e demarcação das coordenadas dos locais de fundeio, o material foi transportado de São José dos Campos,SP a Guapé, MG. Ao longo de uma semana as plataformas foram montadas em terra para posterior transporte até o local de fundeio.

O próximo passo, de acordo com a pesquisadora Fernanda Sampaio, “é treinar agentes locais (produtores, agentes locais e funcionários da Prefeitura de Guapé) para que eles auxiliem na calibração e manutenção dos equipamentos”.

Atualmente, o Brasil conta com aproximadamente 200 grandes reservatórios que podem ser utilizados para a produção de pescado tanques-rede.

Fonte e foto 01: Ascom MPA

Foto 02: Douglas Gomes. Foto 03: Eliana Lima.

*O seu material também pode ser publicado no Portal PRB. Você pode enviar fotos, textos, áudios ou vídeos para o emailpautas@prb10.org.br

 

TAGS:
REPORTAR ERRO

Informar erro

COMPARTILHE

FALE CONOSCO

O PRB está de portas abertas para ouvir você

Sugestões, críticas, dúvidas e elogios

faleconosco@prb10.org.br

FALE COM O PARLAMENTAR

Nesta semana, envie sua mensagem para a deputada federal Tia Eron

dep.tiaeron@camara.leg.br
(61) 3215-5618

QUEM É QUEM

Conheça as lideranças do Partido Republicano Brasileiro

CONFIRA

EU REPÓRTER

Deseja indicar uma matéria para sair aqui no Portal PRB?

pautas@prb10.org.br

RECEBA NO SEU EMAIL

Enviamos para seu email os destaque da semana.
Faça parte do Boletim 10!

Respeitamos seu email. Não gostamos de SPAM.

Você foi inscrito com sucesso!

Pin It on Pinterest