Comissão da Câmara aprova projeto de Russomanno

 

 

BRASÍLIA (DF) – Trabalhadores que utilizam motocicletas para serviços de entrega ganharão uma proteção em sua rotina. A comissão de Constituição e Justiça da Câmara aprovou, no mês de junho de 2012, parecer favorável ao Projeto de Lei 6789/2006, de autoria do então deputado Celso Russomanno, hoje pré-candidato do PRB à prefeitura de São Paulo, tornando obrigatória a contratação de seguros de vida em grupo ou individual para os condutores. O projeto agora segue para o Senado.

Em sua justificativa, Russomanno lembrou que o serviço de moto entrega encontra-se em franca expansão, assim como os riscos da atividade. “É positivo ter um incremento no serviço, pois novos postos de trabalho vêm sendo criados. Ao mesmo tempo, preocupa-nos o fato de que esses profissionais possam ser submetidos a regimes de trabalho sem a devida proteção, correndo os riscos que o trânsito caótico de nossas metrópoles impõe.”

Tanto as pessoas jurídicas que se utilizam de serviços próprios de entrega para seus produtos, como as que prestam este serviço a terceiros, por meio de motocicletas ou veículos afins, deverão contratar os seguros, que deverão cobrir os casos de morte ou de invalidez permanente do condutor acidentado. Os seguros beneficiarão o próprio motoqueiro e, nos casos de morte, a esposa, filhos, pais e irmãos do acidentado, de acordo com a sucessão estabelecida na lei. O valor do seguro será de, no mínimo, 30 (trinta) vezes o salário base da categoria ou aquele registrado em carteira, o maior dos dois.

Segundo dados do Ministério da Saúde, em nove anos (de 2001 a 2010), a quantidade de mortes ocasionadas por acidentes com motos quase triplicou no País, saltando de 3.744 para 10.143 óbitos. “Estamos falando de milhares de famílias que perdem seus filhos, irmãos e pais, enquanto esses estavam na luta diária pelo sustento. Deve haver algum tipo de reparação”, defendeu Russomanno.

Essa situação, segundo Russomanno, ainda pode se agravar, já que o crédito facilitado de longo prazo tem proporcionado prestações mais baixas e, portanto, assimiláveis pelos candidatos a motoboys. “Não podemos esquecer que muitas empresas que contratam os motoboys impõem a eles tensão, estresse e angústia para darem conta das encomendas a tempo, o que sem dúvida contribui para o elevado número de acidentes.”

Por Paulo Gusmão

Foto: Amanda Fischer

*O seu material também pode ser publicado no Portal PRB. Você pode enviar fotos, textos, áudios ou vídeos para o e-mail pautas@prb10.org.br.

TAGS:
REPORTAR ERRO

Informar erro

COMPARTILHE

FALE CONOSCO

O PRB está de portas abertas para ouvir você

Sugestões, críticas, dúvidas e elogios

faleconosco@prb10.org.br

FALE COM O PARLAMENTAR

Nesta semana, envie sua mensagem para a deputada federal Tia Eron

dep.tiaeron@camara.leg.br
(61) 3215-5618

QUEM É QUEM

Conheça as lideranças do Partido Republicano Brasileiro

CONFIRA

EU REPÓRTER

Deseja indicar uma matéria para sair aqui no Portal PRB?

pautas@prb10.org.br

RECEBA NO SEU EMAIL

Enviamos para seu email os destaque da semana.
Faça parte do Boletim 10!

Respeitamos seu email. Não gostamos de SPAM.

Você foi inscrito com sucesso!

Pin It on Pinterest